FALTA DE RESPEITO – Até nota da Agespisa rebateu de forma “indireta” a pesquisa encomendada pelo Ministério Público Estadual ao Laboratório Central que apontou a presença de coliformes fecais na água de Teresina. “Em respeito aos seus usuários, mediante divulgações sobre a qualidade da água em Teresina”, declara a companhia no início do texto.

Para a Agespisa, essa pesquisa não deve ser considerada, já que não possui o mínimo de representatividade. LEIA AQUI  a nota, onde a Agespisa assegura que faz mais de 400 análises por Mês e não detectou contaminação como foi apontada pelo Laboratório Central, que pesquisou apenas 9 (nove) amostras. 

Para o presidente do Sindicato dos Engenheiros da Agespisa, Florentino Filho, tudo não passa de uma estratégia pra convencer a opinião pública de que é necessária a venda da companhia para as empresas privadas. 

Florentino se expressou bastante revoltado nas redes sociais sobre essas “denúncias”, que considera “aberrantes e irresponsáveis”:

florentino

O DESESPERO PARA ENTREGAR O PRODUTO NEGOCIADO??

O Poder financeiro e político busca de todas as formas denegrir a imagem da AGESPISA com denúncias aberrantes e IRRESPONSÁVEIS sobre a qualidade de água em Teresina.
Com média de 400 análises microbiológica realizadas por mês na capital, com a fiscalização da Gevisa (gerência de Vigilância Sanitária) e com análises do LABORATÓRIO AMBIENTA SÃO LUCAS de São Paulo que tem acreditação do INMETRO e certificação ISO, a Agespisa garante a qualidade da água da cidade. 
09 amostra realizadas após reservação domiciliar que não é de responsabilidade da AGESPISA e sem nenhum protocolo técnico de coleta, acondicionamento e transporte de amostras e análise e não garantir a REANÁLISE para ratificar ou RETIFICAR o resultado, demostra uma IRESPONSABILIDADE fora do comum..

Isso é pra denegrir a imagem da empresa.. a fim de ter a população a favor da entrega para empresas privadas do Lava a Jato..
Estamos de olho