Documentos na íntegra:

AÇÃO DA LAVA JATO

DECISÃO DO JUIZ Friedmann Anderson Wendpap

Não deu nem pra respirar. Um dia após a reeleição do senador Ciro Nogueira no cargo de presidente do Partido Progressista, a 1ª Vara Federal de Curitiba decretou nesta sexta-feira (7) o bloqueio dos bens do PP (Partido Progressista) e de 11 políticos da legenda, num valor total de R$ 477 milhões.

Ação é um indicativo do que virá por aí com demais partidos como o PMDB e PT, que também estão no centro das denúncias de propina da Lava Jato. Caberá ao Tribunal Superior Eleitoral decidir o futuro desses partidos, não descartando inclusive a extinção dos mesmos.

O PP teve R$ 9,88 milhões bloqueados.  A indisponibilidade dos bens atingiu os seguintes políticos do PP, o partido com maior número de envolvidos na Operação Lava Jato:

* Pedro da Silva Correa de Oliveira Andrade Neto no valor de R$ 46.800.000,00;

* Pedro Henry Neto no valor de R$ 800.000,00;

* João Alberto Pizzolatti Junior no valor de R$ 124.055.758,32;

* Mario Silvio Mendes Negromonte no valor de R$ 166.921.262,16;

* Mario Silvio Mendes Negrmonte Junior no valor de R$ 2.733.000,00 ;

* Nelson Muerer no valor de R$ 78.800.000,00;

* João Claudio de Carvalho Genu no valor de R$ 12.800.000,00;

* José Otávio Germano no valor de R$ 10.040.000,00;

* Luiz Fernando Ramos Faria no valor de R$ 8.160.000,00;

* Roberto Pereira Brito no valor de R$ 8.160.000,00;

* Arthur Cesar Pereira de Lira no valor de R$ 7.767.776,96.