plenario

Estima-se que na Assembleia Legislativa do Piauí existam mais de 2.000 cargos comissionados. Cada deputado tem a seu dispor algo em torno de 40 assessores, fora os R$ 30 mil que podem gastar com a cota parlamentar.

A Constituição Federal prevê no artigo 169, § 3º e 4º as providências em caso do órgão não cumprir os limites com as despesas de pessoal:  primeiro, a redução em pelo menos vinte por cento das despesas com cargos em comissão e funções de confiança; segundo, a exoneração dos servidores não estáveis.

Mas, para não mexer nos cargos comissionados logo de cara, o governador Wellington Dias sancionou a Lei 6.986, de autoria dos deputados do PMDB, Zé Santana e João Madson, que cria o Programa de Aposentadoria Incentivada (PAI) da ALEPI. O servidor que se aposentar em até seis meses poderá receber até seis vezes o valor do salário como bônus.

Logo no artigo 1ª, a lei deixa claro que a medida é excepcional para reduzir o excedente de gastos com pessoal, ou seja, estão adotando um caminho inverso para não mexer nos apadrinhados políticos.

LEI NA ÍNTEGRA E TABELA DO BÔNUS