nerinhofoto

PEDIU MAIS PRAZO – Depois de Gessivaldo Isaías (SETRE), e Francisco Costa (ex-SESAPI), quem caminha para enfrentar investigação contábil nos repasses de emendas parlamentares para entidades sem qualificação técnica e sem pessoal capacitado é o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Nerinho.

Ao Tribunal de Contas, Nerinho pediu mais prazo para comprovar os gastos de R$ 1,5 milhão. O dinheiro foi direcionado por deputados estaduais e foi parar na conta da Fundação Cidadania Brasil (FUNCIBRA).

As secretárias de Trabalho e Empreendedorismo (SETRE) e a de Saúde foram obrigadas pelo Tribunal de Contas do Estado a abrir Tomada de Contas Especial (uma espécie de investigação contábil) por que não conseguiram comprovar onde foi parar o dinheiro das emendas de dezenas deputados estaduais. As investigações seguem em andamento, mas não custa lembrar que estão sendo conduzidas pelo mesmo grupo político do governo atual. O Ministério Público e até a Polícia Civil também podem pedir cópias dos documentos e apurar como esses recursos foram aplicados.

LEIA MAIS SOBRE AS ONGS CONTESTADAS NO TCE-PI:

Florentino é obrigado apurar rombo de R$ 3 milhões em convênios do Dr. Chiquim na SESAPI

Quem são os deputados do Piauí que deram emendas para ONG das notas falsas

Governo W.Dias tem que explicar R$ 1,18 milhão em 26 notas fiscais falsas

Secretário de W.Dias investiga a si próprio nos R$ 800 mil de grana das emendas da ALEPI

ONG amiga dos deputados estaduais é investigada por irregularidades em R$ 3,7 milhões na SESAPI