DIASCURITIVA

W.DIAS, LULA E MORO MAIS UMA VEZ – Nesta quarta-feira(13), o ex-presidente Lula será interrogado mais uma vez pelo juiz Sérgio Moro para se defender da acusação de receber (da empresa Odebrecht) um apartamento em São Bernardo do Campo-SP e um terreno para a construção do Instituto Lula. O ex-presidente é acusado de facilitar contratos da empresa com a Petrobras.

Mas, no Piauí, a polêmica de sempre nas redes sociais é se o dinheiro das viagens do governador Wellington Dias estão sendo pagas com recursos públicos ou não.

CÓDIGO DO PODER APUROU A VIAGEM DE MAIO– O primeiro depoimento de Lula a Sérgio Moro foi no dia 10 de maio. No mesmo dia, o titular do Blog Código do Poder, usando a Lei de Acesso à Informação e o sistema e-SIC , fez os questionamentos para o Gabinete Militar do governo piauiense e para a Coordenadoria de Comunicação Social.

Além de saber como o governador estava se deslocando para Curitiba, o titular do blog também questionou se o assessor Álvaro Carneiro também acompanhou o governador na viagem e se houve pagamento de diárias.

AS RESPOSTAS – As respostas foram semelhantes, ou seja, de que o governador foi sozinho naquela ocasião e que ele sempre paga do próprio bolso nessas viagens pessoais. Também foi questionado o deslocamento para a Salvador, pois logo após a viagem para a Curitiba, Wellington Dias se deslocou para Salvador, para encontro dos governadores do Nordeste.

A PASSAGEM – O gabinete militar também disponibilizaram a passagem aérea do governador. Apesar da passagem ter sido tirada numa agência que presta serviços para o governo estadual, os órgãos informaram que o pagamento foi por conta do próprio governador.

Só lembrando que, a passagem em si, não é a comprovação de que o pagamento não tenha sido efetuado por algum órgão estadual, mas o que vale é a informação oficial dos órgãos estaduais citados acima.

Porém, não há esclarecimentos oficiais das despesas dessa nova ida de Wellington Dias a Curitiba.

A seguir, a PASSAGEM usada em maio e os questionamentos encaminhados, com a suas respectivas respostas:

PASSAGEM DE WELLINGTON DIAS PARA CURITIBA (MAIO) .PDF

 

 

REQUERIMENTOS ENCAMINHADOS PARA ESCLARECER A POLÊMICA:

 

SOLICITAÇÃO ENCAMINHADA PARA A COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO DO PIAUÍ:

 

Senhor Gerente,

Aquiles Nairó Benício de Carvalho, jornalista e advogado, vem a presença de Vossa Senhoria requerer as seguintes informações:

 

1) Entre os dias 08 a 09, o governador do Estado esteve em Curitiba. A viagem foi custeada com recursos estaduais?

2) Além do governador, seu assessor Álvaro Luis Carneiro também esteve na viagem? Houve pagamento de diárias e de despesas com passagens áreas?

3) De Curitiba para Salvador-BA, o governador retornou ao Piauí ou se deslocou diretamente para a cidade baiana, e de que forma?

Nestes termos, fundamentado no princípio constitucional da transparência pública, 

PEDE  e AGUARDA DEFERIMENTO.

Teresina, 10 de maio de 2017.

AQUILES NAIRÓ BENÍCIO DE CARVALHO

JORNALISTA DRT-PI 1.267

ADVOGADO OAB-PI 12.778

 

RESPOSTA DA COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO NO DIA 19 DE JUNHO DE 2016

1)_ A viagem do governador para Curitiba foi realizada no dia 8 de maio pela companhia aérea Gol e foi paga com o cartão de crédito do próprio Wellington Dias, como é feito sempre em viagens pessoais ou de agendas exclusivamente políticas.

2)_ O assessor de comunicação Álvaro Luís Carneiro não participou da viagem. Todas as despesas de hospedagem, alimentação e transporte foram custeadas pelo próprio Wellington Dias..

3)_ Após encerrar a agenda em Curitiba, o governador retornou em voo comercial até São Paulo e, de lá, foi para Salvador.

 

 

RESPOSTA DO GABINETE MILITAR NO DIA 09 DE JUNHO DE 2016

Sr. Aquiles Nairó,

 

Atendendo prontalmente sua solicitação, vimos lhe informar que:

 

  1. A viagem realizada pelo Governador entre os dias 08 e 09 de maio de 2017, a Curitiba não foi custeada com recursos estaduais;

 

  1. O assesseor Álvaro Luis Carneiro não pertençe ao quadro de funcionários do Gabinete Militar, portanto não temos como responder esta questão;

 

  1. A Viagem do Governador foi uma viagem particular e custeada com recursos próprios.

 

Atenciosamente,

Lana Cristina Barros Assunção

Controle interno do Gabinete Militar