firmino1

ESCÂNDALO DOS R$ 268 MILHÕES DO FUNDEF – Relatório da equipe de auditoria do Tribunal de Contas do Estado propõe que o prefeito Firmino Filho seja responsabilizado pela operação já considerada ilegal no TCE-PI  e TCU que foi a venda de R$ 268 milhões dos precatórios do antigo Fundef, assinada por Firmino com o Banco do Brasil em 2016. As informações são do Portal GP1.

O contrato acabou dando um prejuízo de R$ 18 milhões (juros bancários) aos cofres públicos, além de Firmino ter que se defender da acusação de desvio de recursos da educação para outros fins.

MATÉRIA COMPLETA NO PORTAL GP1:

Relatório do TCE opina pela procedência de denúncia contra Firmino Filho

Essa pedalada do prefeito pode lhe custar ações judiciais, se o Ministério Público (Federal e Estadual) seguir o mesmo entendimento dos Tribunais de Contas. O caso também é acompanhado pela Controladoria Geral da União e pela Polícia Federal, já que, de acordo com o TCU, essa venda dos precatórios e o uso dos recursos para outros fins caracteriza desvio de recursos.

No período da eleição passada, a gestão de Firmino usou mais de R$ 70 milhões dos recursos para pagar diversas despesas alheias à área da educação: construtoras, agências de propaganda, igreja etc.

Agora, o relatório do TCE receberá um novo parecer do Ministério Público de Contas e será levado a julgamento posteriormente.

DOCUMENTO (.PDF):

RELATÓRIO DA AUDITORIA NA ÍNTEGRA