rejanelilianmartins

SUSPEITAS NO TRANSPORTE ESCOLAR – A pedido do Ministério Público do Contas (procurador Márcio André), a denúncia dos deputados estaduais do Piauí pedindo auditoria nos contratos assinados pela deputada Rejane Dias com as empresas de transporte escolar foi encaminhada para ser relatado pela conselheira Lílian Martins, cunhada de um dos principais autores da denúncia, o deputado Rubem Martins.

O relator anterior era o conselheiro substituto Jaylson Fabianh Lopes Campelo.  Como Lílian Martins já é relatora da prestação de contas do ano de 2015, o processo foi encaminhado para ser julgado junto com a atual denúncia que apontaria suspeitas de superfaturamento e favorecimento das empresas contratadas.

Apesar do apensamento dos processos acabar favorecendo Rejane Dias, é bom lembrar que a prestação de contas de 2015 aponta diversos pagamentos suspeitos para o Instituto Premium (que já foi dirigido pelo atual secretário de Fazenda, Rafael Fonteles), além de apontar pagamento a maior superior a R$ 8 milhões que a gestão de Rejane Dias teria feito para empresas de transporte escolar.

LEIA TAMBÉM:

EXCLUSIVO: Rejane Dias pagou quase R$ 8 milhões a mais para oito empresas na SEDUC

Instituto que Rafael Fonteles dirigiu já faturou R$ 27 milhões com Rejane Dias

Deputados pedem investigação do MPF-PI nos gastos de R$ 121 milhões da SEDUC

O Código do Poder acompanha o caso e aguarda inclusive as providências que o Ministério Público Federal deverá tomar sobre a denúncia e sobre os relatórios da auditoria que já apontaram o mal uso de recursos federais.