usarnasmaterias3

APÓS AUDITORIA E DENÚNCIA DA OPOSIÇÃO –  A Comunicação do Governo do Piauí informa que o secretário Estadual da Fazenda, Rafael Fonteles, protocolou, na quinta-feira (22), a reapresentação da prestação de contas relativa à aplicação dos recursos, no valor de R$ 307 milhões, referentes à aplicação da primeira parcela da operação de crédito de R$ 600 milhões junto à Caixa Econômica  Federal.

Segundo a informação do governo, foram entregues cerca de 10 caixas contendo uma vasta documentação. O material conteria “tudo o que foi solicitado para complementar a prestação de contas anterior”.

Ao contrário das denúncias e do relatório da auditoria do TCE-PI, o governo W.Dias garante que comprova a aplicação de R$ 307 milhões em obras de mobilidade urbana, rodovias e outras ações estruturantes, conforme estabelecia o contrato da operação de crédito.

REVERSÃO OU DESVIO DE FINALIDADE – O que foi apontado como desvio de finalidade na aplicação do empréstimo, o governo petista prefere chamar de “reversão” e afirma que que a prática é legal.  “Foram entregues outros documentos que comprovam que o mesmo procedimento legal da reversão de fonte já foi adotado em anos anteriores, a exemplo do que aconteceu em 2009”, informou a assessoria de Comunicação da Secretaria de Fazenda.

O secretário da Fazenda, Rafael Fonteles, entregou os documentos na Caixa Econômica da avenida Campos Sales. Ele estava acompanhado do Superintendente do Tesouro Estadual, Emílio Júnior, e do diretor da Unidade de Gestão da Dívida Pública Mauro Gomes.

LEIA E ENTENDA A POLÊMICA: