ciroministro

MINISTRO SOB SUSPEITA – Matéria exclusiva do Jornal O GLOBO desta terça-feira(17) revela que anotações encontradas pela Lava-Jato no celular do lobista Milton Lyra, preso na semana passada sob suspeita de irregularidades no fundo de pensão Postalis (dos funcionários dos Correios), indicam suspeitas de pagamentos ao ministro das Cidades, Alexandre Baldy (PP), repasses a partidos políticos e diversas referências a encontros com autoridades públicas e empresários, comouma agenda com o ministro de Minas e
Energia, Moreira Franco (PMDB).

Uma mensagem diz:

“Baldy. Conta corrente 6x 450”.

O material inédito, obtido com exclusividade pelo GLOBO, revela que o alcance da influência política do lobista vai muito além do PMDB, partido ao qual ele é normalmente associado.

Diz O Globo:

“Sobre partidos políticos, as anotações não deixam dúvidas de que o lobista registrava informações ligadas a repasses financeiros, embora não seja possível explicar a sua relação com tais transações financeiras somente por meio das mensagens obtidas no aparelho. “Imposto 20/” é o título do arquivo, que traz os seguintes números: “PMDB – 550; PT 550; PDT 550 – 50 = 500 e PP 500”. A data deste documento é de agosto de 2013.”

Milton Lyra é apontado pelas investigações como operador do senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

O ministro Alexandre Baldy (PP) se filiou a pouco tempo ao Partido Progressista, o partido com mais políticos investigados na Operação Lava Jato. O ministro foi indicação do senador piauiense Ciro Nogueira, que tenta a todo custo se reeleger no Piauí para manter o foro privilegiado  e escapar de ser julgado pelo juiz Sérgio Moro.

MATÉRIA COMPLETA DO O O GLOBO AQUI.