wdiascidadeverde

NADA DA OPOSIÇÃO FISCALIZANDO OBRAS– Após dias de desgastes com os episódios dos empréstimo o governador Wellington Dias acredita que dá pra receber uma parte dos R$ 615 milhões em breve e, assim que o TCU emitiu decisão parcialmente favorável, o governador amanheceu o dia (quinta-feira) reunindo toda sua equipe econômica para agilizar tudo que for necessário para dar andamento às obras e aos pagamentos previstos nos dois empréstimos assinados.

DOCUMENTO:

DECISÃO DO TCU – Não se opõe à liberação, mas faz exigências (.PDF)

DISCURSO DO GOVERNO PETISTA – Na reunião, o governador tenta passar pra sua equipe que deve ser falar menso de burocracia, principalmente de prestação de contas, já que este é o grande problema que gerou toda a cadeia de pendências na liberação do empréstimo, pois o governador e sua equipe foram acusados pela oposição e por auditoria do Tribunal de Contas de praticarem desvio de finalidade.

“Durante os meus mandatos realizei uma série de contratos de empréstimos e posso afirmar que temos uma equipe preparada. Portanto, temos consciência de que tudo foi feito dentro da lei. A nossa prioridade é falar menos das questões burocráticas e mostrar que as obras existem, é só dar uma olhada no Elevado da Miguel Rosa, na ponte JK e Wall Ferraz, na adutora do litoral, no centro de convenções, dentre diversas outras”, declarou Wellington. LEIA MAIS NA MATÉRIA DO GOVERNO DO PIAUÍ

A prestação de contas da primeira parte do empréstimo do Finisa I continua pendente de aprovação na Caixa Econômica. O TCE-PI encontrou um festival de irregularidades.  Falar disso, seria reforçar os ataques da oposição.

Por isso, a base do governo e o próprio Wellington Dias preferem tratar a oposição como inimigos do Estado e contrários ao desenvolvimento. É muito melhor para o Karnak que a mídia divulgue esse discurso, ao invés de falar sobre a série de divergências no uso dos recursos obtidos junto à Caixa Econômica Federal. E o governo sabe que seu aparelhamento nos meios de comunicação é muito grande.

OPOSIÇÃO QUER COMISSÃO FISCALIZANDO OBRAS – Esses novos repasses quando forem liberados receberão um monitoramento muito maior depois de todo esse embólio. O oposição entrou com um requerimento na Assembleia Legislativa para acompanhar de perto o andamento das obras e os pagamentos. O receio é de que o dinheiro seja usado no período eleitoral de maneira ilícita, principalmente pelo fato de muitas lideranças políticas já terem anunciado apoios de prefeitos do interior aguardando o início de tais obras.

Rapidamente, a base do governador Wellington Dias é contra a criação dessa comissão, sob a alegação de que seria uma comissão apenas para discurso eleitoreiro.

QUAIS OS RECURSOS QUE W.DIAS AGUARDA – A segunda parte do empréstimo Finisa I (contrato 0482405-71), de R$ 300 milhões, que está pendente de análise da prestação de contas na Caixa e o segundo empréstimo, no valor de R$ 315 milhões, chamado Finisa II (contrato 0477608-24), que foi objeto de decisão do ministro Edson Fachin, mas que a Caixa afirmou que só poderia liberar de início algo em torno de R$ 270 milhões.