CONSTRUTORACRESCER[1]

WELLINGTON DIAS ATACOU OPERAÇÃO – O governador Wellington Dias já deu entrevista atacando a operação que apura contratos de licitação firmados em seu governo. Segundo o Tribunal de Contas e o Ministério Público, a Construtora Crescer não teria condições de executar os serviços para a qual foi contratada, chegam a afirmar que seria uma empresa de fachada.

O PORTAL GP1 publicou matéria informando que, até um sócio morto, estava com seu nome sendo usado nos contratos com o governo do Piauí. CONFIRA A MATÉRIA

Em meio a tanta divergência, acabaram usando até dinheiro de empréstimo obtido junto à Caixa Econômica Federal para pagar a tal construtora, o que pode atrair a competência da Polícia Federal no caso, algo temido por gestores que comandaram as secretarias e coordenadorias que fizeram esses pagamentos.

MAIS GRANA NO PERÍODO DE ELEIÇÕES – Outro ponto que chama a atenção são os volumes de pagamentos recebidos pela empresa em anos de eleições.

Levantamento feito pelo blog Código do Poder junto ao Portal da Transparência revela que em 2014 (governos Zé Filho e Wilsão), a empresa recebeu R$ 3.314.724; em 2015 foram pagos R$ 725.592,90; no ano da eleição pra prefeitos (2016), o governo do Piauí pagou R$ 1.677.583,81; aí em 2017 só R$ 451.637,98; mas, esse ano (2018), com a grana da Caixa Econômica, a construtora já recebeu R$ 2.210.531,60 do governo de Wellington Dias.
LEIA TAMBÉM:

Governador do PI se irrita com operação do MP-PI atingindo sua gestão

Wellington Dias usou R$ 2 milhões da CAIXA para pagar empresa investigada