nery

HORAS ANTES DA PF BATER NA PORTA- Na noite do último dia 26 de setembro, quem também estava no aeroporto de Teresina, além do ex-presidente da Agespisa (Raimundo Neto, irmão do senador Ciro Nogueira), era o empresário Lourival Nery, assessor e amigo de longas datas do senador e citado por dois motoristas da empresa Transnacional no mesmo inquérito (INQ 4407) que horas depois (dia 27/09) teria operação da Polícia Federal em dois endereços ligados ao senador piauiense.

No aeroporto de Teresina (monitorado por câmeras), Lourival Nery conversava com Raimundo Neto, enquanto Ciro voltava de Brasília pra anunciar assinaturas de liberações de recursos do Ministério das Cidades para a construção de moradias.

Mas, o impacto da operação da Polícia Federal no dia seguinte foi tão grande, que a notícia dos recursos federais foi ofuscada.

Não há nada de ilegal o assessor esperar ou encontrar, mesmo que por acaso, o senador alvo de quatro inquéritos na Operação Lava Jato. Mas, não custa lembrar o fato de que Lourival Nery foi ouvido na operação Lava Jato este ano para explicar porque seu nome consta em planilhas da Construtora Odebrecht como sendo um dos canais entre o sistema de pagamento de propinas da empresa e o senador Ciro Nogueira.

LOURIVAL FOI APONTADO POR MOTORISTAS QUE ENTREGAVAM PROPINA – Em maio deste ano, o jornal O ESTADO DE SÃO PAULO revelou depoimento de dois motoristas da empresa Transnacional, a mesma empresa que teria feito supostas entregas de propinas do presidente Michel Temer. Os dois motoristas são policiais militares de São Paulo e revelaram que recebiam R$ 180 para fazerem as entregas.

Ao jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, na época, o senador Ciro negou qualquer recebimento de propina.

Em depoimento na Polícia Federal, os dois motoristas reconheceram a foto de Lourival Nery como sendo o homem que recebia pagamentos no Edifício La Defense, em São Paulo.

Lourival Nery pediu para que seu depoimento fosse realizado em Brasília, o que aconteceu no dia 15 de março de 2018.

Na frente do delegado Albert Paulo Sérvio de Moura, Lourival negou qualquer recebimento de “embrulhos com dinheiro”. Informou também que este ano mudou de endereço.

Confira, a seguir, o depoimento de Lourival Nery :

20181002_105550

20181002_105907

TODAS AS INFORMAÇÕES CONSTAM NO INQUÉRITO 4407, que o governador Wellington Dias diz que é antigo e que até criticou o trabalho da Polícia Federal.

As fotos que os motoristas olharam e que reconheceram Lourival Nery (foto 2) foram essas:

reconhecimento