SEIS MESES DE ATRASOS, VIDAS EM RISCO – A situação dos pacientes renais crônicos do Piauí que precisam fazer o tratamento fora de seus municípios está preocupante.

Uma NOTA DE ALERTA da Associação dos Pacientes Renais Crônicos do Estado do Piauí (APREPI) indica que o Estado do Piauí (através das gestão de Wellington Dias e Florentino Neto – Secretário Estadual de Saúde) estaria atrasando os repasses para os Tratamentos Fora de Domicílio (TFD).

O risco é de que pacientes venham morrer em seus municípios sem ter condições de chegarem a Teresina para manterem tratamentos de hemodiálise, por exemplo.

A denúncia da associação foi entregue ao Tribunal de Contas do Estado, que deu prazo de cinco dias para que o secretário de Saúde, Florentino Neto, dê as devidas explicações sobre os atrasos nesses repasses.

RISCO DE MORTE – A associação garante que existem casos de atrasos de até seis meses.  “Muitos estão passando necessidades e deixando de fazer o tratamento por falta de recursos para pagamento do deslocamento, correndo risco de morte”, diz o texto da denúncia.

ONDE ESTÁ O MINISTÉRIO PÚBLICO? – Espera-se que o Ministério do Público do Estado do Piauí também tome as devidas providências o mais rápido possível, além de responsabilizar os gestores que tenham contribuído com esse caso grave que fere a dignidade da pessoa humana.

pacientesrenaispiaui