GRANA DA JBS – O futuro do senador Marcelo Castro (MDB-PI) ainda não está totalmente definido na Lava Jato.

O site O Antagonista informou que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, contestou decisão de Ricardo Lewandowski que remeteu à Justiça Eleitoral investigação contra o senador Marcelo Castro, suspeito de receber propina da JBS para apoiar a candidatura de Eduardo Cunha à presidência da Câmara em 2014.

“O ministro enviou o caso para o TRE do Piauí por ver somente indícios de caixa 2, cuja punição é menor. A PGR diz que o senador é beneficiário de um esquema de corrupção e lavagem que deve ser apurado no próprio STF.”, informa nota do O Antagonista.

“Sem qualquer dúvida, o pagamento ao deputado Marcelo Castro teve como contrapartida o seu apoio à candidatura de Eduardo Cunha para presidente da Câmara dos Deputados”, diz a procuradora-geral.

Leia a nota no O ANTAGONISTA