Conta vai para o bolso dos piauienses na estratégia da Ambev e governo W.Dias

Governador com  presidente da Ambev, Jean Jereisatte; o vice-presidente Ricardo Melo e o diretor de vendas Leandro Ligeiro

CERVEJA DE CAJU OU DE SUCO DE GARRAFA – O governo do Piauí já começou mais um estardalhaço na mídia com relação à produção da Cervejaria Ambev que prepara a produção da sua primeira cerveja considerada “genuinamente piauiense”. O nome não foi divulgado ainda, mas será uma cerveja de caju.

LEIA A MATÉRIA DO GOVERNO DO PIAUÍ

Porém, em se tratando de governo Wellington Dias, a regra é que sempre tem um porém. Então vamos a alguns pontos interessantes sobre o que o governador não vai revelar para os piauienses.

1º ) Para começar, a foto acima foi de uma reunião do governador com representantes da Ambev, em dezembro de 2019, quando o governo do Piauí divulgou que a cerveja seria de mandioca, a exemplo do que já existe no Ceará, Maranhão e Pernambuco. LEIA A MATÉRIA DO GOVERNO DO PIAUÍ

2º Por falar em Maranhão (Flavio Dino), a imprensa lá descobriu que a cerveja de mandioca seria produzida em Pernambuco. LEIA AQUI.

3º Mas, voltemos ao Piauí. Aqui também não será tão genuína assim. A cerveja de caju deverá ter o mínimo de 0,35% do caju piauiense ou da polpa do caju, mas também terá suco concentrado (aquele de garrafa), que não será produzido aqui no Piauí. O suco será industrializado em outro estado, conforme prevê o item 4.2 da proposta entregue aos membros do governo do Piauí;

4º A Ambev quer que a equipe de Wellington Dias e Rafael Fonteles (Secretário de Fazenda) reduza o ICMS da “cerveja piauiense” de 25% par 12%, para que ela se torne mais barata no mercado. Porém, tal redução deveria passar pelo Conselho Nacional de Secretários de Fazenda, que é presidido pelo próprio Rafael Fonteles;

5º A empresa Ambev tem perdido espaço no mercado local devido a diversos fatores; Não informaremos percentuais aqui, mas sabemos que a queda do seu portfólio no Piauí está maior que a queda nacional (dados da própria empresa);

6º A empresa Ambev tem reclamado constantemente da carga tributária no Piauí em comparação com outras alíquotas de ICMS praticados nos demais estados nordestinos.

7º O incentivo fiscal concedido pelo governo do Piauí à empresa em decreto vence em dezembro deste ano e a empresa tem tentando um aumento ainda maior na isenção fiscal. Se hoje a Ambev paga 50% dos 29% ICMS cobrados pelo Estado do Piauí, ela quer um percentual de 85% por cento de crédito presumido (abatimento) em cima da cobrança de ICMS no Piauí.

Por fim, será muito bom para o governo, para os produtores de caju, para a empresa principalmente mas, é preciso saber que é uma conta que todos irão pagar, gostando, ou não, da nova cerveja de caju.

Para finalizar, tudo faz parte de uma estratégia de marketing da Ambev para competir com as diversas novas marcas mais consumidas pelo povão.

MATÉRIA DA EXAME: O trunfo da Ambev para reconquistar o povão: cerveja de mandioca

ISTOÉ DINHEIRO: Uma nova estratégia para a Ambev

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s